sábado, 20 de fevereiro de 2016

#FreeKesha | O machismo chega até lá, sim!



Há algum tempo está sendo comentado pelos quatro cantos o processo da Kesha contra o seu produtor, Dr. Luke. A cantora entrou na justiça para processá-lo por abusos psicológicos e sexuais e esses dias o assunto voltou à tona, pois o juiz não tomou uma decisão favorável à ela, o que a obriga a continuar presa ao homem por causa de um contrato. 

Vi diversas publicações desde o Facebook até o Twitter sobre o assunto e as pessoas acham que podem simplesmente apontar o dedo sem ter o mínimo de empatia pela Kesha. Não foram poucos os comentários que li dizendo que ela deveria ter provas, que estava mentindo, que poderia ter filmado os abusos e uma montanha de absurdos. Como se uma pessoa pudesse prever que algo terrível como isso pudesse acontecer. A Kesha pode ser uma mulher branca e rica, mas nem por isso deixa de ser vítima do machismo. O que podemos perceber com isso é que a opressão chega independente de onde a mulher esteja, pois ainda há homens (e muitos!) com a ideia de que podem fazer o que quiserem com a mulher, sua mente e seu corpo sem a sua permissão. Óbvio que a porcentagem de mulheres negras e periféricas que sofrem com isso é muito maior, mas nem por isso aquelas que têm uma boa condição deixam de ser oprimidas. Vimos há tempos atrás a Rihanna ser vítima disso, estamos vendo a Kesha e também outras inúmeras mulheres passarem por esse caos. Enquanto isso há pessoas para idolatrar homens como Chris Brown e passar paninho para outros como esse Dr. Luke. É escroto ver essas coisas e se sentir impotente. Por quê uma mulher fingiria ter sido violentada? Mais revoltante ainda é ver que ela pode ser obrigada a continuar trabalhando com um monstro por causa de um contrato. Contrato este que deve obrigá-la a gravar seis discos, SEIS DISCOS, isso são quase dez anos trabalhando com uma pessoa que te oprime, abusa e violenta. 




Kesha deu um grande passo que foi denunciar, o caso repercutiu e as pessoas começaram a mandar diversas mensagens de apoio à cantora. Junto aos fãs, pessoas que se sensibilizaram e também artistas como Lady Gaga, Halsey e Ariana Grande. É importante esse apoio de artistas e pessoas influentes, sei também que muitos artistas ficaram calados por medo ou receio, todos sabemos que podem ser vítimas da indústria e podem ter suas vidas destruídas em um estalar de dedos caso se pronunciem, isso é desesperador. Tenho certeza de que a Kesha não é a primeira vítima deste homem, ela está tendo somente o apoio da mãe como testemunha e também por isso não está sendo favorecida no caso, espero que se pronunciem mais pessoas que sofreram com o Luke, para dar apoio a Kesha e para derrubar esse monstro. 

Juntas somos fortes, sim! #FreeKesha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre o blog


Conteúdo sobre questões raciais e de gênero de forma acessível e cor-de-rosa. O blog aborda assuntos como moda e estética negra como forma de expressão, além de questões ligadas ao movimento negro e feminista na contemporaneidade.

Newsletter