segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

RESENHA | A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista, de Jennifer E. Smith


Título: A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista
Titulo Original: The Statistical Probability of Love at First Sight
Autor: Jennifer E. Smith
Ano: 2013
Páginas: 224
Editora: Galera Record

Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.
Olá pessoal, faz tempo que não apareço aqui, não é mesmo? Culpo a falta de tempo, não está fácil se dividir entre estudos e blog, mas temos autor novo no blog e vamos que vamos! Bom, hoje eu vou falar de um livro que li há algum tempo e desde então estava com muita vontade de fazer uma resenha dele. É um livro bem curtinho, que li em apenas duas horas (sim!) e gostei muito.

Vocês bem sabem que eu não sou tão fã assim de romances, porém adoro demais um clichê. Pois bem, esse livro tem de tudo. Um pouco de clichê aqui, um romance meloso ali e bastante draminha.

Bradley é filha de pais separados e mora com a mãe. Seu pai vai se casar novamente e ela precisa viajar até Londres para a cerimônia. Fazendo pouca questão de ir, ela acaba ficando 4 minutos atrasada e perde o vôo, porém como todo bom romance precisa de um mini-plotwist no início, ao esperar pelo próximo vôo ela conhece Oliver. Um garoto bonito (e como!) e britânico que parece estar vestido para uma cerimônia também. Eles conversam e até acabam se sentando juntos no vôo e foi então que eles se apaixonaram.

Acho que não tenho o direito de criticar a história por ter um romance muito óbvio e rápido demais, até porque eu não poderia esperar nada diferente vindo de um título desses, que por sinal eu amei! Gostei do livro, principalmente, por ser um livro simples, sem muitos rodeios e com uma boa dose de tudo (menos de romance, porque foi dose até demais, haha!). Achei interessante o desenvolvimento da relação dela com o pai. Em seu interior, ela julgava muito o pai por ter se separado da mãe e achava a nova esposa dele muito irritante, etc., mas ao chegar lá ela acabou percebendo que não era tão ruim quanto ela pensava e acabou até achando a mulher "legal", depois de muito mimimi ela acabou perdoando o pai e aceitando a separação dele com a mãe. Para falar a verdade eu não gostei muito da Bradley, não tenho um motivo especial, mas ao longo do livro pode-se ver que a personagem é um pouco chata e pouco compreensiva com coisas mínimas. Oliver é bonito e tem um quê de mistério (quando lerem vão entender o que eu digo), o jeito como as conversas dos dois fluíam era muito fofo e divertido. Achei o romance pouco realista, afinal quem sairia sozinho por uma cidade desconhecida à procura de alguém que você conheceu por apenas algumas horas e não sabe praticamente nada sobre?! Não estou dizendo que não acredito em amor à primeira vista, mas é um pouquinho difícil de engolir certas coisas do livro, ainda mais para mim que sou chata, haha!

Enfim, achei um bom livro. Quando terminei fiquei com uma sensação de "quero ler de novo" e recomendo para aquelas pessoas que curtem um romance e não acham chato se o romance for meloso demais. A escrita é um amorzinho, a autora escreve muito bem e de um jeito super divertido, quando terminei o livro fui correndo procurar tudo sobre a escritora, porque amei de verdade, ela escreve bem e com delicadeza, coisa que combinou perfeitamente com a história do livro. Como é bem rapidinho de ler, com apenas 224 páginas, é uma boa leitura para um domingo tedioso ou até uma viagem. De acordo com a classificação, é um livro para jovens adultos, mas ao ler eu tive a certeza de que era um livro para todas as idades. Independente de ser jovem, adulto, idoso, acho que a pessoa que ler o livro vai sentir uma coisa boa.

Ahhhhh, quase ia esquecendo de elogiar a capa, que é um amor! Todo mundo fala "não julgue um livro pela capa", mas eu sou rebelde sempre faço isso, primeiro com Starters e agora com A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista, que tem uma capa muito linda e que combina muito com a história, além desse título (gigante!) que eu amo falar. Já indiquei para muitos amigos meus e agora indico para todos os leitores do UN!


Espero que tenham gostado da resenha! Se você já leu o livro, comente a sua opinião, se ainda pretende ler, quando o fizer volte correndo contar para a gente o que achou!

Um beijo e voltem sempre <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre o blog


Conteúdo sobre questões raciais e de gênero de forma acessível e cor-de-rosa. O blog aborda assuntos como moda e estética negra como forma de expressão, além de questões ligadas ao movimento negro e feminista na contemporaneidade.

Newsletter