quinta-feira, 1 de setembro de 2016

5 livros distópicos

Olá pessoal, como vão? Hoje vamos falar sobre um gênero que ganhou bastante popularidade nos dias atuais, a distopia. Se você gosta de ler e está sempre de olho no que anda fazendo sucesso, provavelmente já ouviu falar sobre Jogos Vorazes, Maze Runner ou sobre algo relacionado a distopias.

Estão em alta muitos livros do gênero e atualmente ando lendo-os bastante, por isso resolvi falar do gênero hoje, que aliás eu já amo muito.

Primeiramente, vamos entender um pouco o que é a tão comentada distopia:
A distopia é um pensamento filosófico que caracteriza uma sociedade imaginária controlada pelo Estado ou por outros meios extremos de opressão, criando condições de vida insuportáveis aos indivíduos. Normalmente tem como base a realidade da sociedade atual idealizada em condições extremas no futuro.
Alguns traços característicos da sociedade distópica são: poder político totalitário, mantido por uma minoria; privação extrema e desespero de um povo que tende a se tornar corruptível.
  Como diz acima, no texto, as distopias falam principalmente sobre um poder político totalitário oprimindo uma determinada população. Muitos livros fazem críticas bastante diretas à sociedade atual, mas num futuro próximo.

JOGOS VORAZES
   

Não tem como falar de distopia sem citar Jogos Vorazes, que por acaso é a minha trilogia favorita. Achei Jogos Vorazes diferente de tudo o que já li. A escrita da Suzanne Collins tem o poder de prender o leitor, fazendo-o perder a noção do tempo ao abrir o livro. Algumas pessoas podem se incomodar pelo fato de ele ser escrito no presente, mas garanto que vale muito a pena para quem gosta do gênero.
No primeiro livro, a personagem principal, Katniss Everdeen, se oferece para participar dos Jogos Vorazes no lugar de sua irmã, Prim. Os Jogos são uma espécie de reality show, onde crianças e adolescentes são jogadas numa arena e terão que se matar até restar apenas um vencedor. A sociedade é dividida em 12 distritos e uma capital; antigamente eram 13 distritos, porém houve uma rebelião do Distrito 13 onde o mesmo fora dizimado e daí é que se origina os Jogos Vorazes, que é uma forma que o governo encontrou de mostrar à população dos distritos que eles ainda estão no comando.
Amo Jogos Vorazes principalmente por não ter o protagonista chato, acho a Katniss maravilhosa porque amo personagens fortes e independentes. Sempre digo que amo a Katniss por ela ser uma mulher que luta e sustenta a sua família, sem toda aquela baboseira de "a garotinha que precisa ser salva", não, ela vai lá e faz o que precisa. Enfim, a trilogia é composta por Jogos Vorazes, Em Chamas e A Esperança. Os dois primeiros já foram adaptados para o cinema pela Lionsgate e o último será dividido em duas partes, a primeira parte de A Esperança estreia no final desse ano!

MAZE RUNNER 

 Maze Runner é o meu outro amorzinho. Li o primeiro livro no início do ano passado e me apaixonei imediatamente. Considero como uma trilogia pois, apesar de existir mais dois livros, eles não se passam na história principal; Ordem de Extermínio é uma história dos tempos de antes do labirinto, com personagens e enredo totalmente diferentes, Maze Runner: Arquivos é um livro extra com os arquivos perdidos do Cruel.
Bom, Correr Ou Morrer segue Thomas, que de repente acorda num elevador (chamado de Caixa) levando-o à Clareira onde existem vários garotos (somente garotos) tentando encontrar a saída de um labirinto gigante. Thomas esqueceu tudo sobre sua antiga vida, lembrando-se apenas do seu nome, ele deve se adaptar à vida dos Clareanos. Na Clareira, cada garoto tem a sua função, há os que cuidam da Clareira, como cozinheiros, e há os Corredores, que são os garotos que se arriscam no labirinto tentando encontrar a saída. Toda noite as paredes do labirinto de juntam e fecham, lá dentro existem monstros chamados Verdugos, que possuem um corpo de lesma e emitem sons metálicos. Um dia após Thomas aparecer na Clareira, surge uma pessoa na Caixa e desta vez é uma garota que trás uma mensagem: ela e Thomas são os últimos a serem enviados. Ao chegar, ela apenas pronuncia o nome de Thomas e entra em coma, o que deixa todos os Clareanos em crise tentando decidir se confiam ou não em Thomas.
Enfim, acho que não posso revelar mais nada sobre o livro, pois é spoiler. Muitos não consideram distopia, mas há algo maior controlando os Clareanos e fora do labirinto há uma coisa terrível que foi provocada pelo governo. Maze Runner é uma das minhas distopias favoritas, o mistério dos livros é muito bem dosado, a escrita é bem desenvolvida, os personagens são maravilhosos e o melhor de tudo: não tem romance. Eu nunca tinha lido uma história onde não existia romance e foi muito bom ver como funciona algo sem a necessidade de duas pessoas se amando e achando que são o centro do universo. Além de Correr Ou Morrer, há também Prova de Fogo, A Cura Mortal, Ordem de Extermínio e Maze Runner: Arquivos.

Nunca se esqueçam: Cruel é bom!

STARTERS

Recentemente terminei de ler Enders e fiquei totalmente apaixonada pela história criada por Lissa Price. Tive um pouco de receio em comprar o primeiro livro, Starters, pois a capa é muito estranha, rs. E essa história maravilhosa é a prova real de que não se deve julgar um livro pela capa!
Num futuro distante a tecnologia avançou bastante (bastante mesmo!) e houve a Guerra dos Esporos, onde uma doença matou muitas pessoas, restando apenas pessoas muito jovens e muito velhas, os muitos jovens se chamam Starters, os muito velhos são chamados de Enders e os de meia idade são chamados de Middles. Com essa guerra, os Starters ficaram sem família e apenas os Enders e Starters que possuíam avôs e avós muito ricos. Os Starters sozinhos, sem mãe, pai ou avós eram bastante pobres e passavam fome, então recorriam ao aluguel de corpos. Meio estranho? No início eu também achei, mas eu vou explicar. Os Starters passavam por vários tipos de cirurgia plástica para ficarem com aparência perfeita para os Enders alugarem seus corpos e em troca os Starters recebiam dinheiro para se manterem. Ao ter o corpo alugado, eles ficam com a mente num estado de coma enquanto os Enders usam seus corpos jovens. Callie é a protagonista e recorre à doação de corpos para salvar o seu irmão Tyler que está muito doente, mas algo é alterado no seu chip e isto faz com que a mente dela esteja acordada junto com a Ender que alugou o seu corpo, possibilitando a comunicação das duas pela mente. Callie descobre que a Ender que alugou o seu corpo, Helena, deseja matar o governador que permite o aluguel de corpos. Em meio a tudo isso, Callie descobre que o Velho, dono da Prime Destinations, órgão responsável pelo aluguel de corpos, deseja alugar os corpos dos Starters para sempre e vendê-los aos Enders mais ricos do mundo.
É bastante confuso no início, mas depois as coisas são explicadas e você se apaixona. A escrita da Lissa Price é muito cativante e é muito interessante ver como ela conseguiu idealizar um futuro todo tecnológico. Existem apenas dois livros lançados, Starters e Enders, que é o último.

DIVERGENTE
  

Divergente é uma trilogia que li recentemente também e adorei. Tem uma ideia bem parecida com Jogos Vorazes, mas NÃO É CÓPIA, ok? Primeiramente queria dizer que antes de ler tive muito preconceito com Divergente, rs, ouvi falar do livro lá em 2011 no fandom de Jogos Vorazes (meio contraditório, pois hoje em dia os dois vivem em pé de guerra, mas sim, os tributos foram os primeiros divergentes). Quando li, me apaixonei!
Em Divergente a sociedade é dividida em cinco facções que cultivam cada uma um valor, Abnegação (altruísmo), Erudição (conhecimento), Amizade (bondade), Audácia (coragem) e Franqueza (sinceridade). Os adolescentes, ao completar 16 anos, devem passar por um teste de aptidão para descobrir a qual facção eles pertencem, e há o Dia da Escolha, que eles devem escolher a facção que irá viver. Tris era da abnegação e escolhe a audácia, pois não se acha altruísta o bastante para viver na sua facção de origem. Na verdade, ela é divergente, o que significa que ela tem aptidão para mais de uma facção, isso é muito perigoso, o governo persegue e mata os divergentes e Tris deve ser muito cautelosa para conseguir esconder a sua divergência. O primeiro livro acontece quase todo no complexo da audácia, é lá que Tris descobre que os desentendimentos da Erudição com a Abnegação não são apenas desentendimentos, a Erudição planeja uma guerra contra a abnegação. Na audácia, Tris tenta passar no teste de iniciação e esconder a sua divergência, caso contrário será uma sem-facção ou uma morta, muitas coisas e pessoas entram em seu caminho, mas nem todas são ruins. Ela se apaixona por Quatro e logo descobre o seu maior segredo, o seu nome e o motivo de ele escondê-lo. Geralmente tento passar direto por romances, esquece-los e prestar atenção somente no enredo, mas é impossível não achar lindo o romance de Tris e Quatro e torcer para os dois ficarem juntos.
Além de Divergente, há também Insurgente e o último Convergente, que finaliza a trilogia da forma mais extraordinária e imprevisível possível!

FEIOS


 Um dia eu estava vagando pelo Skoob e achei este livro, achei interessante a sinopse dele, mas infelizmente não li ainda. Só queria citá-lo, pois achei muito interessante e tive ótimas recomendações, espero poder lê-lo em breve e quando o fizer, venho correndo resenhar para vocês. 

Por enquanto deixo apenas a sinopse:
Séculos depois da destruição da civilização industrial em um apocalipse ecológico, a humanidade vive em cidades-bolha cercadas pela natureza selvagem. Lá, Tally Youngblood é feia. Não, isso não significa que ela é alguma aberração da natureza. Não. Ela simplesmente ainda não completou 16 anos. Em Vila Feia, os adolescentes ficam presos em alojamentos até o aniversário de 16 anos, quando recebem um grande presente do governo: uma operação plástica como nunca vista antes na história da humanidade. Suas feições são corrigidas à perfeição, a pele é trocada por outra, sem imperfeições ou – nem pense nisso – espinhas, seus ossos são substituídos por uma liga artificial, mais leve e resistente, os olhos se tornam grandes e os lábios, cheios e volumosos. Em suma, aos 16 anos todos ficam perfeitos.
Tally mal pode esperar pelo seu aniversário. Depois da operação, vai finalmente deixar Vila Feia e se mudar para Nova Perfeição, onde os perfeitos vivem, bebem, pulam de paraquedas, voam a bordo de suas pranchas magnéticas, e se divertem (o tempo todo). Seu único trabalho é aproveitar muito. Mas, enquanto espera que as poucas semanas até completar 16 anos passem, Tally precisa se distrair.
Uma noite, ela conhece Shay, uma feia que não está nem um pouco ansiosa para completar 16 anos. Pelo contrário: Shay pretende fugir dos limites da cidade e se juntar à Fumaça, um grupo de foras-da-lei que sobrevive retirando seu sustento da natureza.
Para Tally, isso é uma maluquice. Quem iria querer ficar feio para sempre, ou se arriscaria a voltar para a natureza e queimar árvores para se aquecer, em vez de viver com conforto em Nova Perfeição e se divertir à beça? Mas, quando sua amiga desaparece, os Especiais, autoridade máxima deste novo mundo, propõem um acordo com Tally: unir-se a eles contra os enfumaçados ou ficar feia para sempre. Tally, porém, acaba se envolvendo em uma conspiração e descobrirá que, por trás de tanta perfeição, se esconde um terrível segredo. Sua escolha irá mudar o mundo para sempre.

That's all folks, espero que tenham gostado. Não deixem de comentar a opinião de vocês sobre esse post e falar sobre os demais livros distópicos que conhecem nos comentários. 

XOXO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre o blog


Conteúdo sobre questões raciais e de gênero de forma acessível e cor-de-rosa. O blog aborda assuntos como moda e estética negra como forma de expressão, além de questões ligadas ao movimento negro e feminista na contemporaneidade.

Newsletter