terça-feira, 18 de outubro de 2016

Andei ouvindo #1



Este é um post para falar de ~tantantantan~ MÚSICA

Gente, eu adoro música. Praticamente tudo o que eu faço é ouvindo música. Ler, navegar na internet, pensar, andar, esperar, dormir. TUDO! Então é impossível eu não ser uma pessoinha cheia das estratégias para conhecer coisa nova. Vem por indicação de amigos, vem por indicação do aleatório do Spotify... vem até pela força do pensamento

Ultimamente o famigerado boca-a-boca tem sido a minha fonte de indicação de artistas e bandas legais. Como estou trabalhando na assessoria de comunicação de um complexo ma-ra-vi-lho-so onde rola vários shows muito maneiros, acabo indo nos eventos e gostando muito dos artistas, ou, por pura curiosidade, passando a ouvir alguma atração que irá tocar e gostando. Eu sou viciada em conhecer e experimentar coisa nova, então tudo isso é um prato cheio pra mim. 

Emicida 


Primeiro já começo falando de um artista magnífico que tive o prazer de conhecer em uma de suas passagens por Salvador/BA. O Emicida! Nunca, nunca, nunquinha fui chegada em rap. Nunca me interessei, nunca parei pra ouvir. Eis que me surge um show de Emicida para cobrir e eu vou na maior naturalidade do mundo entrevistá-lo e tals. Neeem ligando. Na hora que começou o show eu nem sei explicar o que eu senti. É uma energia muuuuito boa. O cara carrega a bandeira da negritude por onde ele passa, suas músicas cantam a voz do povo preto e seu rap traz uma mistura muito bacana que envolve características da Música Popular Brasileira. O único álbum que ouvi foi o seu trabalho mais recente, "Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa...", que se trata de uma obra prima. Muito bem produzido, com ótimas composições e participações de peso como Caetano Veloso, Vanessa da Mata, Drik Barbosa, Rico Dalasam e outros. Sou suspeita para falar que amo "Baiana", em parceria com Caetano Veloso, haha. Mas também me conquistaram músicas que cantam a voz do povo preto, como "Chapa", com participação das Batucadeiras do Terreiro dos Orgãos, com uma letra linda e triste ao mesmo tempo, que fala sobre o genocídio da população negra. "Boa Esperança" e "Mandume" também são ótimas!!!!!

Euzinha com o Emicida!!! ♥


Chet Faker


Segura o close dessa barba, minha gente!!!

O Chet Faker é um músico autraliano que passei a ouvir por indicação de alguns amigos e do meu namorado. Primeiro eu ouvi sem dar muita importância (quase sempre é assim, haha), mas quando realmente parei para escutar com mais atenção as músicas, adorei e comecei a me viciar. Ele tem dois álbuns de estúdio e um EP, porém ouvi apenas o mais recente, "Built On Glass". Ele tem um estilo musical bem puxado pro lado da eletrônica, indie, etc., mas as pessoas classificam como rap/hip hop. Confessando pra vocês que só me interessei mesmo e fui ouvir por causa dessa barba di-vi-na que ele tem!!! Mas me surpreendi porque as músicas são realmente muito boas


BaianaSystem



Por último falo de BaianaSystem, que é um grupo baiano surgido em Salvador no ano de 2009. Muita gente vive tentando identificar o estilo da banda se baseando em estilos que já existem, mas o que me fez curtir mesmo foi essa proposta diferente e original que eles têm, onde buscam dar uma nova roupagem à música urbana no cenário baiano. É muito difícil uma banda ou artista surgir com algo novo, do zero, totalmente original. Me arrisco a dizer que o BaianaSystem tem essas características sim e por isso acabou fazendo tanto sucesso em Salvador, principalmente no carnaval. Conheci a banda justamente no carnaval de Salvador, neste ano, e a princípio fiquei deslocada e confusa, porém parando pra ouvir com mais calma, acabei curtindo essa mistura de ritmos e estilos que configuram a identidade do BaianaSystem. 



Curte conhecer um bom artista também? Conta pra mim nos comentários o que anda ouvindo!

Xoxo ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre o blog


Conteúdo sobre questões raciais e de gênero de forma acessível e cor-de-rosa. O blog aborda assuntos como moda e estética negra como forma de expressão, além de questões ligadas ao movimento negro e feminista na contemporaneidade.

Newsletter