sexta-feira, 11 de novembro de 2016

5 personagens negros interpretados por pessoas brancas no cinema


Novembro Negro chegou e é um mês para dar um enfoque maior nas pautas do povo negro. É claro que esse foco não deve se restringir somente a novembro e sim ao ano inteiro, mas devemos aproveitar este momento para intensificar ainda mais as nossas discussões. 

Resolvi falar sobre invisibilidade negra na indústria cinematográfica. Falar sobre personagens negros que foram interpretados por pessoas brancas não é só sobre a infidelidade nas características do personagem, mas também é um reflexo do sistema racista que ainda domina a nossa sociedade, tomando o espaço que os negros deveriam ocupar. 

Vivemos por muitos anos sem a presença dos negros em diversos ambientes, principalmente o meio artístico. Hoje em dia, mesmo com tanta discussão a respeito, ainda vemos uma taxa abaixo da média de negros que são devidamente reconhecidos como diretores, atores e atrizes, escritores, roteiristas e afins. Não é pelo fato de não existir, essas pessoas existem e têm talento de sobra, mas não recebem visibilidade e a indústria prefere substituí-los por pessoas brancas que já têm reconhecimento de sobra. 

Antes de listar os personagens selecionados para fazer parte deste post, acho importante entrar num quesito histórico, falando de uma prática muito utilizada no teatro antigamente: o Blackface. Para quem não conhece, o Blackface é uma prática onde pessoas brancas eram caracterizadas com esteriótipos racistas atribuídos aos negros para ridicularizar, zombar e humilhar os negros com o objetivo de divertir a população branca. Se pensam que acabou, ainda estão vivendo num mundo imaginário totalmente utópico, pois isso ainda acontece nos dias de hoje e são justificados com explicações ridículas como a defesa da liberdade expressão artística (sim, eu já li isso). 

Importante lembrar que isso acontece com latinos e asiáticos também. E, apesar de hoje em dia não acontecer com frequência o Blackface da mesma forma que antigamente, temos uma visão exatamente igual da prática. Ainda somos excluídos e ridicularizados no meio televisivo e cinematográfico, onde as minorias são representadas com base em milhares de esteriótipos e com a presença de atores brancos interpretando bons personagens negros, sendo que há milhares de atores negros com o mesmo talento ou superior.

Um bom exemplo de embranquecimento que é a imagem construída de Jesus. Como poderia, um homem nascido no Oriente Médio ser branco, loiro e de olhos azuis? Sem falar de várias vezes em que personagens egípcios e orientais eram interpretados por pessoas brancas. Isso acontece pois o sistema racista se nega a dar oportunidade às pessoas negras, mesmo quando elas são as protagonistas das histórias. Observe que sempre que há um bom personagem negro que é protagonista, herói e afins, ele é totalmente embranquecido. Mas parem para observar se o papel de uma empregada doméstica foi tirado de uma atriz negra! Quando se trata de um personagem secundário, pouco importante, eles não perdem a oportunidade de colocar um negro interpretando todos os esteriótipos possíveis e imagináveis de sua raça.

Vendo tudo isso, até parece que a sociedade não se importa com a etnia do ator ou personagem, não é mesmo? Muito pelo contrário! É válido analisar também todos os poucos momentos em que o contrário aconteceu, quando atores negros interpretaram personagens originalmente brancos no cinema e em outros espaços. Parece que o público branco foi ferido gravemente quando isso acontece. Vale lembrar da polêmica que gerou quando a atriz Noma Dumezweni foi escalada para interpretar Hermione na peça "Harry Potter and The Cursed Child", só faltaram derrubar a internet. Isso só mostra que as pessoas brancas não querem ver negros ocupando espaços, não querem ver representação negra e não têm nem um pouco de empatia pelos negros. Pouco importa se são brancos interpretando negros, mas se tirarem a originalidade de seus personagens brancos, aí a história muda, não importa se a etnia do personagem não faça nenhuma diferença na obra original.

1. Joseph Fiennes como Michael Jackson 




O ator Joseph Fiennes foi escalado para interpretar o filme "Elizabeth, Michael e Marlon" (2016), que se passa depois dos atentados do 11 de setembro.

Apesar de Michael Jackson já ter sofrido as alterações na pele nessa época por conta do vitiligo, ele não deixou de ser uma pessoa negra. Até porque negritude vai muito além de cor da pele, é uma série de fatores, como traços, descendência e até como a própria pessoa se considera. Michael nunca negou sua negritude e assumiu sim ter orgulho de sua origem. Ter um ator branco interpretando Michael é ofensivo não só por estarem embranquecendo o maior ícone pop de todos os tempos, como tirando a oportunidade de um negro estar ali interpretando o artista.

2. Laurence Olivier como Othello




Othello é um filme de 1965 que é uma adaptação da peça de Shakespeare, "Otelo, o Mouro de Veneza". E para interpretar o personagem principal, foi escolhido o ator Laurence Olivier, que além de roubar o espaço de um ator negro, há claramente um uso de Blackface. Isso mesmo, o ator pintou o rosto para interpretar o personagem. Qual a dificuldade de colocarem um ator negro para interpretar?

3. Elizabeth Taylor como Cleópatra




Elizabeth Taylor interpretou Cleópatra no filme de 1963 e, bem, ela é inglesa, branca e descendente de americanos e europeus. Cleópatra é uma personagem histórica que vivia no Egito e tem descendência de africanos, então é impossível que ela fosse branca e de olhos claros, como é retratada na maioria dos filmes.

4. Lilá Brown (Harry Potter)




Aí vem uma das maiores polêmicas que me deparei sobre o tema. Lilá Brown é uma personagem de Harry Potter e nos primeiros filmes da franquia a intérprete da personagem era a atriz Kathleen Cauley, uma menina negra, mas logo quando a personagem ganha um destaque na história e passa a se relacionar romanticamente com um dos personagens principais, mudam a atriz misteriosamente para Jessie Cave, uma garota loira de olhos claros.

Chega a doer o tanto de racismo envolvido neste caso. J.K. Rowling, a autora, não costuma descrever tanto as características do personagem, então não se sabe se a personagem era originalmente negra ou branca. Mas só por terem embranquecido a personagem quando ganhou destaque e, pior, mudarem a atriz porque ela era negra, chega a ser absurdo. É como se gritassem na cara dela que ela não poderia estar ali.

5. Robert Branch como Martin Luther King




Para vocês terem ideia do quanto adoram embranquecer pessoas negras, que uma peça teatral nos Estados Unidos escolheu um ator branco para interpretar ninguém menos que Martin Luther King. E, apesar da autora ter críticado altamente, o diretor da peça deu a pior justificativa possível: "Acredito que o teatro é um espaço seguro para experimentações. Queria ver se um ator branco seria capaz de interpretar um homem que não é só um ícone afro-americano, mas um ícone americano. Por que não poderia qualquer americano interpretá-lo?".

Martin Luther King


Referências: 
Geledés
Nó de Oito
AdoroCinema
HuffPost Brasil
Monet

2 comentários:

  1. Amei!
    Precisamos debater e lutar contra toda forma de racismo, cotra toda forma de opressão e preconceito.

    Parabéns pelo texto! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, com certeza!

      Obrigada, fico feliz que tenha gostado <3

      Excluir

Sobre o blog


Conteúdo sobre questões raciais e de gênero de forma acessível e cor-de-rosa. O blog aborda assuntos como moda e estética negra como forma de expressão, além de questões ligadas ao movimento negro e feminista na contemporaneidade.

Newsletter