quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

COFFEE BREAK | Resenha: O Rei de Amarelo


Sinopse

"O Rei de Amarelo" é uma coletânea de contos de terror fantástico publicada originalmente em 1895 e considerada um marco do gênero. Influenciou diversas gerações de escritores, de H. P. Lovecraft a Neil Gaiman, Stephen King e, mais recentemente, o escritor, produtor e roteirista Nic Pizzolatto, criador da série investigativa True Detective cujo mistério central faz referência ao obscuro Rei de Amarelo. O título da coletânea faz alusão a um livro dentro do livro - mais precisamente, a uma peça teatral fictícia - e a seu personagem central, uma figura sobrenatural cuja existência extrapola as páginas. A peça 'O Rei de Amarelo' é mencionada em quatro dos contos, mas pouco se conhece de seu conteúdo. É certo apenas que o texto, em dois atos, leva o leitor à loucura, condenando sua alma à perdição. Um risco a que alguns aceitam se submeter, dado o caráter único da obra, um misto irresistível de beleza e decadência. Esta edição reúne, além dos contos do Rei, seis outros que alternam entre o sobrenatural e a realidade, em épocas e geografias diferentes. A introdução e as notas do jornalista e escritor Carlos Orsi, ajudarão novos leitores a mergulhar na bem construída mitologia do autor.


Título: O Rei de Amarelo
Título original: The King in Yellow
Editora: Intrínseca
Páginas: 256
Gênero: Terror, Sobrenatural
Ano: 2014

Muito conhecido entre os amantes da literatura de terror, Robert W. Chambers é também referência para muitos autores consagrados, como Neil Gaiman, Lovecraft e o próprio Stephen King. Nesta edição de "O Rei de Amarelo", lançada em 2014 pela editora Intrínseca, nos apresentam uma coletânea com dez contos de terror fantástico. 

Durante o livro inteiro o leitor tem referências à peça "O Rei de Amarelo", porém sem grandes revelações sobre o conteúdo, apenas nos dando a ênfase na alucinante experiência que os leitores têm ao ler o texto (dividido em dois atos). 

A obra é dividida em três partes, a primeira contendo os quatro contos que se centralizam na peça "O Rei de Amarelo" e as outras duas partes contendo pontos mais reais e até romances. De um modo geral, o livro decepciona em partes o leitor que cria muitas expectativas em cima do livro. Importante ressaltar que apenas os quatro primeiros contos fazem realmente parte do livro original e com o passar do tempo o autor foi adicionando outras histórias. 


O livro se baseia principalmente na peça, já citada, "O Rei de Amarelo", que enlouquece aqueles que a leem. Falando particularmente dos quatro primeiros contos, "O reparador de reputações", "A máscara", "No Pátio do Dragão" e "O emblema Amarelo", estes apresentam um grande teor de terror psicológico e é onde o leitor percebe mais claramente os efeitos que a peça causa nos personagens. São ótimos contos para os fãs de terror, onde até quem não faz parte da história fica levemente perturbado. Com relação aos contos posteriores, é necessário alertar o leitor que constrói grandes expectativas. São histórias interessantes, porém com poucos conteúdos de terror realmente. Estes falam mais dos costumes do século XIX, quando o livro foi escrito, e retratam mais a sociedade da época, se centrando em Paris da Belle Époque

O livro tem ótimas notas de rodapé que são indispensáveis para o entendimento de alguns fatores na história. As notinhas dão um norte ao leitor, que muitas vezes não percebe as correlações entre os contos. Por isso trazem ótimas referências e apresentam essas possíveis relações entre os universos. 

"O Rei de Amarelo" é um ótimo livro para os amantes da literatura gótica. Tem excelentes referências e uma trama recheada de terror psicológico e elementos fantásticos, como viagem no tempo. É, com certeza, um clássico da literatura de terror e agradou grandes autores como Neil Gaiman, Lovecraft e foi até citado na série True Detective. Vale destacar, em particular, os contos "O emblema amarelo" e a "Demoiselle de Y's", que são os mais interessantes e tornam a leitura mais agradável, deixando o leitor ávido pelas próximas histórias. 


“As histórias de Chambers em O Rei de Amarelo são perturbadoras e me afetaram de um jeito único.” - Neil Gaiman


“A ideia de terror cósmico se tornou parte real do ambiente da série, principalmente para os que conhecem o trabalho de Chambers.” - Nic Pizzolatto, roteirista da série True Detective


“Altos níveis de terror cósmico.” - H. P. Lovecraft


Nota: 7,5/10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre o blog


Conteúdo sobre questões raciais e de gênero de forma acessível e cor-de-rosa. O blog aborda assuntos como moda e estética negra como forma de expressão, além de questões ligadas ao movimento negro e feminista na contemporaneidade.

Newsletter