quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A alta dos brechós e o incentivo ao consumo consciente

É possível, sim, consumir moda de forma consciente e criativa!


Foto: Pedro Luiz

Consumir roupas usadas sempre foi muito comum na Europa e EUA, mas no Brasil a prática virou tendência há pouquíssimo tempo e já pode-se notar certas mudanças nos hábitos de consumo dessas pessoas.

Falar de brechó é automaticamente falar sobre consumo consciente e moda sustentável. Há um grande conceito por trás disso e, mesmo que nem todo mundo compre com a intenção de ser sustentável, já causa um benefício enorme para o meio ambiente. A verdade é que o maior atrativo dos brechós é o baixo custo. Peças usadas são sempre vendidas por um preço muito abaixo do mercado e até em momentos de crise essa é uma opção mais viável.
Foto: Pedro Luiz

Mas a grande questão de consumir roupas usadas é não só garantir exclusividade nas peças, montar looks criativos e vintage, mas também pensar no quanto isso contribui para que o consumo consciente se estenda para outras instâncias. Afinal, é extremamente benéfico se conscientizar sobre tudo o que se compra. Hoje em dia podemos perceber mais marcas de roupas humanizando seus produtos e fazendo as pessoas notarem que uma peça não é apenas uma peça, ela tem uma história e várias pessoas trabalhando por trás para que ela esteja lá nas prateleiras depois.

Responsabilidade social é importante e comprar roupas que já existem é o que torna os brechós tão especiais. Além disso, comprar em brechó incentiva o conserto e customização das peças. Hoje em dia é bem comum jogar uma roupa fora até se ela tiver um simples furo, parece até coisa de outro planeta encontrar alguém que conserte suas próprias roupas e volte a usá-las.

E, por fim, a grande mágica que os brechós nos proporciona é poder agregar valor à uma peça quando ninguém vê potencial nela. Parece difícil chegar num brechó e se meter na poeira pra encontrar peças que valem a pena. O grande segredo é ter visão e sempre enxergar um potencial naquela roupa. Às vezes uma peça que antes era usada de tal forma pode ser ressignificada e utilizada de outra forma totalmente diferente. É uma das coisas que tornam o consumo em brechós tão especial, é fazer da moda algo criativo e ousar no momento de escolher seus looks.

Garimpar não é só se meter na poeira pra achar blusinhas de 1 real, é também ressignificar!

Conheça o DNMT Brechó no Instagram e no Facebook!








Fotos: Pedro Luiz
Edição: Pedro Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre o blog


Conteúdo sobre questões raciais e de gênero de forma acessível e cor-de-rosa. O blog aborda assuntos como moda e estética negra como forma de expressão, além de questões ligadas ao movimento negro e feminista na contemporaneidade.

Newsletter